Destaques
Busca por Tags
Últimas notícias

Benefícios tributários do PGBL podem reduzir o imposto de renda

Mais do que formar uma reserva financeira para realizar um sonho ou ter uma aposentadoria tranquila, investir em previdência privada oferece ao participante importantes benefícios fiscais.


Mas para isso é importante entender qual a modalidade de plano que você possui, se um VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) ou PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), pois cada um possui características e vantagens específicas.

O PGBL é o mais adequado para quem faz a declaração de Imposto de Renda pelo modelo Completo, ou seja, para quem tem mais despesas para deduzir, como gastos com plano de saúde, educação ou dependentes. Um de seus grandes atrativos é a possibilidade de dedução de até 12% da renda bruta anual tributável. Por exemplo: se você tem um rendimento anual de R$ 100 mil, pode investir até 12% desse valor em um PGBL, ou seja, R$ 12 mil. Quando for declarar o IR, o próprio sistema irá calcular sua renda tributável em R$ 88 mil. Neste caso, o diferimento fiscal pode chegar a R$ 3.300,00.

“Isso significa que você poderá pagar menos IR agora, colocar o dinheiro para render e só acertar as contas com o Leão lá na frente”, afirmou Sandro Bonfim, superintendente de Produtos da Brasilprev, empresa especialista que lidera o mercado brasileiro de previdência privada em ativos sob gestão.

Bomfim explicou ainda que o benefício proporcionado pelo PGBL representa um diferimento fiscal: você deixa de pagar imposto hoje e paga somente no momento do recebimento da renda ou dos resgates do dinheiro do plano. “Se a opção de tributação for pela Tabela Regressiva, a alíquota de IR a ser aplicada no momento de utilização do dinheiro no futuro cai de acordo com o tempo de cada aporte até o momento de seu resgate. Ela começa em 35% e chega a apenas 10% após dez anos. Assim, a união do PGBL com a Tabela Regressiva faz com que você não pague imposto agora e seja tributado apenas no futuro, porém com uma alíquota de 10% após dez anos, uma vantagem bastante atrativa”, disse ele.

Assim, para que as pessoas possam perceber estas vantagens em números, a Brasilprev preparou algumas simulações para exemplificar estes ganhos.

Como fazer os cálculos para as contribuições no PGBL – A simulação abaixo mostra dois exemplos, ambos de uma pessoa com renda bruta anual de R$ 100 mil. Na primeira situação, ela não faz contribuições à previdência privada. Na segunda, contribui em um plano PGBL com R$ 12 mil anuais, ou seja, o equivalente a 12% da renda bruta anual.



O benefício fiscal ao longo dos anos

O quadro a seguir mostra como o diferimento fiscal de R$ 3.300,00 do exemplo acima, se investido novamente em um plano de previdência, pode gerar uma grande reserva ao longo de 10, 20 e 30 anos. Neste exercício, o recomendado é colocar este dinheiro conquistado com o PGBL em um plano Vida Gerador de Benefício Livre, o VGBL, já que nesta modalidade o IR no momento de utilização dos recursos só incide sobre os rendimentos.




Fonte: G&A Comunicação Corporativa


Tags: