Associação Paulista dos Técnicos de Seguro

Largo do Paissandu, 72 - 17° andar Cj. 1704

São Paulo - SP - 01034-901

apts@apts.org.br

Páginas oficiais

  • Wix Facebook page
  • Wix Twitter page
  • Wix Google+ page

Copyright © 2014 APTS. Todos os direitos reservados.  Política de privacidade.

Destaques

Inovação não precisa ser disruptiva

09/11/2019

1/1
Please reload

Busca por Tags
Please reload

Quase 700 mil bicicletas de alto valor não têm seguro

Palestra da APTS mostra aos corretores que o mercado de seguro para bicicletas é promissor. Potencial de prêmios é estimado em R$ 560 milhões.

 

 

Apesar da retração em 2015, a produção de bicicletas deverá crescer 9% neste ano. Apenas um dos fabricantes colocará no mercado quase 4 milhões de unidades. Neste volume estão as bicicletas de alto valor, cujo preço varia entre R$ 3 mil e R$ 60 mil. Um mercado composto por cerca de 700 mil bicicletas, das quais menos de 10% estão seguradas.

 

“Existem mais de 600 mil bicicletas no país para serem prospectadas pelos corretores”, disse Janete Tani, gerente de Riscos Patrimoniais da Argo Seguros, durante sua participação em palestra da APTS, dia 11 de agosto, no auditório do Sincor-SP. Ela e Rafael Fragnan, gerente de Sinistros P&C, apresentaram o tema “O promissor mercado de seguros para bicicletas”.

 

 

De acordo com Janete, o prêmio médio de seguro para bicicleta é de R$ 800,00 e o potencial do mercado é de R$ 560 milhões em prêmios por ano. Na Argo, que tem uma carteira com 6 mil bicicletas e espera fechar o ano com 10 mil, as coberturas oferecidas são para roubo e furto qualificado, acidentes e danos causados a terceiros (Responsabilidade Civil).

 

Um dos diferenciais do Protector Bike, segundo ela, é a abrangência das coberturas, que alcançam todo o território nacional. Mas os sinistros da carteira não são apenas por roubo. Segundo Rafael Fragnan, na Argo, 53% são por roubo e 47% por acidentes. “No início, nossa preocupação era com roubo, mas nesses três anos de operação do produto vimos que também ocorrem muitos sinistros de acidentes em treinos”, disse.

 

Para os corretores, Janete apresentou outra oportunidade de ganho com os seguros para bikeshops. Segundo levantamento da Argo, apenas em São Paulo e Minas Gerais existem cerca de 1,7 mil bikeshops, com três funcionários. Considerando o prêmio médio de R$ 1,5 mil, a seguradora estima o potencial de R$ 2,5 milhões em prêmios por ano. A gerente da Argo destacou que o diferencial desse produto é a cobertura para bens de terceiros.

 

Outra facilidade Bike Protector é o aplicativo para celular que permite ao segurado a contratação 100% online. “Basta que o segurado envie a foto da bicicleta, do número de série, do grupo (câmbio dianteiro, traseiro e pedivela) e da nota fiscal. Se não tiver nota, o sistema irá gerar um voucher”, disse.

 

 

Mais da metade do evento foi dedicado aos questionamentos da plateia, que foram muitos. “Se o usuário gastar, por exemplo, R$ 3 mil em peças para incrementar uma bicicleta avaliada em R$ 3 mil, poderá fazer o seguro de R$ 6 mil?”, questionou um corretor. “Sim, ele pode enviar as notas fiscais das peças alteradas e se a nossa avaliação confirmar a valorização, o valor de sua bike será alterado”, respondeu Janete.

 

O presidente da APTS, Osmar Bertacini, que atuou no evento como mediador, elogiou a participação da plateia. “Pela quantidade de perguntas, vejo que acertamos no tema. O seguro para bicicletas é pouco conhecido, mas muito promissor e rentável”, concluiu.

Please reload

Últimas notícias
Please reload